Upside Down



Quando comecei esta jornada nem sabia no que me estava a meter. Sinceridade! Pensei que era só fechar a boca, fazer uns exercícios e pronto, alcançava o meu objetivo principal! Mas a medida que o tempo foi avançando e tomamos consciência de tudo, o compromisso deixou de ser com algo que envolvia apenas a forma física e passou a ser mental e emocional também. Então, é isso que tentarei explicar em algumas linhas não muito longas.


Decidi deixar o açúcar, bye bye as minhas gomas XXL de maçã do Lidl. Mudei a alimentação de forma moderada e moderadamente comecei a ter os resultados que almejava até um certo ponto, mas a medida que trocamos seis por meia dúzia, temos lentos progressos que conseguimos potencializar com os exercícios físicos, mas nunca chegaremos lá só assim. Porque acabei por perceber que se andasse todas as semanas a fazer a minha cheat meal no Mc Donalds ou a enfartar por aquele bolo de chocolate que fiz que era tão doce que até arrepiava, nunca sairia do ciclo vicioso que o açúcar cria na minha mente. Sim! O nosso cérebro vicia no açúcar como um drogadinho por heroína ou cocaína. Então, decidi comer nos dias de cheat meal mais, porém alimentos que não me arrastem novamente para o meu vício por doces ou causem danos ao meu corpo. Afinal, eu quero-o ainda por muito tempo!

Nesses nove meses, deixei de trocar seis por meia dúzia e passei a escolher os meus alimentos, tentando por tudo não consumir aditivos (hormonas) e etc, buscando sempre o que é eco e bio, aumentando os consumos de proteína e gordura boa, e baixando consideravelmente o consumo de carboidratos, principalmente para equilibrar a minha parte hormonal e imunidade que andavam mesmo em baixo. 

Contrariando meio mundo, sinto-me mais saudável, calma, equilibrada, uma vez que não sinto os efeitos dos sucessivos picos da insulina (principal hormona responsável pelo acúmulo de gordura corporal), pois o excesso de açúcar na corrente sanguínea pode vir a causar graves problemas para a nossa saúde. Por isso, o meu consumo de hidratos de carbono restringe-se à vegetais, frutas com baixo índice glicêmico a moderado e vez por outra, arroz integral ou batata doce, em quantidade que não ultrapasse as 100g por dia em horário adequado ao meu treino, seja ele manhã, tarde ou noite.

Eu funciono bem assim, mas como esta é uma experiência pessoal, você pode nunca conseguir fazer isso, ou porque não está preparada para largar os hábitos de uma vida ou porque mentalmente, nunca entenderá que antigamente vivíamos melhor sem a comida processada (cheia de cor e sabor - vazia de nutrientes) e as necessidades que o nosso corpo tem são diferentes (cheia de nutrientes - sabor equilibrado sem excessos) da forma como vemos a comida atualmente.

Um corpo saudável e fisicamente definido, é algo que desejo há imenso tempo e por isso, este para mim é um caminho sem volta, pois exige muito planeamento alimentar (organização prévia desde as compras até a preparação dos alimentos adequados a ter em casa), equilíbrio mental (dizer não àquilo que eu sei que são simplesmente calorias vazias) e desafio contínuo do meu corpo através dos exercícios físicos capazes de mudar o meu condicionamento aeróbico e anaeróbico.

Os treinos na verdade moldam as minhas formas e dão-me a agilidade, força e capacidades que antes não tinha, mas eles unicamente não me fariam emagrecer, sobretudo perder massa gorda. Além do mais, foi através do esforço diário que aprendi a ser consciente em termos de alimentação, senão não teria o desempenho de que necessitava cotidianamente. Foi a alimentação saudável, livre de químicos e a pensar nas necessidades do meu corpo e não na minha cabeça doida, que me estão a levar para um caminho que eu não conhecia, mas que estou a gostar de conhecer.

Então, agora que sinto-me mais segura no meio dessa jornada e consigo compreender o vosso " não consigo emagrecer " mesmo comendo tudo light e diet, conto-vos um pouco mais da minha experiência pessoal, dando-vos a liberdade de escolha dos vossos alimentos preferidos dentro daquilo que seja o menos processados possível, livre de químicos e dentro dos níveis que vocês consigam gerir sem entrar em stress, é claro. Afinal esta caminhada deve ser feita para uma vida e não sobre a desculpa de perder apenas os quilos em excesso. Continuemos juntas!

E além disso tudo, cortei o cabelo no Nuno Pereira Hair Studio deixando para traz quase vinte quilos e alguns centímetros de cabelo espigado, hashtag SHORTHAIRIDONTCARE.



E se felicidade é encontrar-se no meio de um turbilhão de coisas ou de cabeça para baixo e mesmo assim sentir-se bem, então sou feliz! Porque sinto-me mais atenta e a viver inúmeras experiências ao mesmo tempo, sem pena do que ficou lá atrás, aproveitando o agora com tudo o que ele traz de bom, sem focar demasiadamente nas minhas frustrações, pois isso vai dando-me um pequeno vislumbre do futuro que sempre desejei e que só agora consigo experimentar de forma plena.
Por isso disse, continuemos juntas meninas!



2 comentários:

Reis_Jade disse...

Linda como sempre <3

Clênia Daniel disse...

Tão bom o seu carinho Jade! Beijos!

Design, coding and theme by Ana Garcês.
BE.YOU.TIFUL © 2008-2015