Minhas 3ª e 4ª Semanas Instax



Eu sei, eu sei que estou em falta convosco. Mas, não encontrava oportunidades para tirar fotos que definissem bem as minhas semanas.


Penso que às vezes é melhor tá calada do que andar a falar só por falar e esta rubrica para mim é extremamente pessoal, fala basicamente daquilo que aprendi e das lições que tirei durante cada semana. E é preciso estar atenta para perceber os detalhes, alertas e lições que acontecem conosco de forma única, sempre com o propósito de nos ensinar a viver e a continuar a caminhar na longa estrada da nossa dura vida.

Na 3ª semana, diga-se que esta na qual estou a escrever é a 5ª semana, ok? Então, durante aqueles dias estive a lutar contra alguns medos, que nem tinha razão de ser, mas por vezes acontece de ficarmos assim sem grande explicação e eu comecei a perceber que a mensagem que tinha de absorver era a de que eu tinha que me adaptar. Mas convenhamos que nem sempre é fácil, é preciso estar com a mente flexível, para perceber exatamente até onde eu preciso ceder e até onde eu devo mudar, para não perder a personalidade, os valores e por fim a essência.

Acho que não sou nada intransigente, aceito bem as opiniões fundamentadas, aceito bem conselhos, tenho alguma dificuldade de lidar com a crítica pela crítica, ou seja, aquela que diz mas, não explica o porquê.  E digo que esta não aceito porque é vaga e sem propósito. Aliás, o único propósito é destruir e não construir, como deveria ser a crítica na sua forma pura, que deve ser construtiva.

Adaptar-se é moldar a sua maneira de ser, lidar com as mudanças da melhor forma possível e no fim aprender a viver melhor. É saber relativizar os problemas, não é não lhes dar importância, é apenas organizá-los por prioridade e aquilo que não tem prioridade na sua vida deve ser mesmo colocado de lado, no fundo da fila. Mesmo que isso venha a incomodar e esteja constantemente a vir à tona, deve ter a importância que tem e se você em algum momento da sua vida já lhe deu alguma importância e por fim concluiu que aquilo estava arrumado, não volte a incomodar-se com isso. 

Existem coisas e pessoas na nossa vida que precisam muito mais de nós, do nosso empenho, do nosso suor e lágrimas para que andemos a perder tempo com algo que uma vez concluímos que já não vale a pena. É tão difícil aceitar determinadas conclusões, determinados pontos finais, mas estes são assuntos resolvidos e se assim estão, devem ser arrumados no fundo da gaveta.



Após lidar com coisas desagradáveis acabamos por perceber que o nosso papel, aliás, a nossa vida é importante e faz a diferença na vida de outrem, sejam eles familiares, amigos, conhecidos, seguidores, leitores, não importa. Acabamos por mostrar algo nosso que faz bem aos outros e foi isso que na 4ª semana Instax eu percebi.

Compreendi que quanto mais eu der de mim, aqui no blog, lá no canal, no facebook, nas redes sociais em geral, em casa, no trabalho e em qualquer lugar onde eu vá, isso acabará por tocar o coração de alguém, fazer-lhe bem, mudar a sua maneira de ver as coisas e até trazer-lhe alguma esperança. Porque eu acredito que muitas vezes estamos tão atordoados no fundo dos nossos problemas que acabamos por perder um pouco o campo de visão e ficamos sem conseguir enxergar realmente a solução para ele. Pode ser difícil, mas também pode vir a ser fácil só que perdemos a sensibilidade, as forças e por fim, a capacidade de resolução e é aí que recebemos ajuda, geralmente de quem recebeu de graça o nosso amor e dedicação. E é tão bom quando assim acontece, pois percebemos que não precisamos pedir o que quer que seja, vem em dobro todo o cuidado e apreço com que tratamos, seremos em uma medida muito maior tratados.

Por isso, quis vir partilhar nesta rubrica semanal todos esses pontos da minha vida e não é por acaso que geralmente não abordo diretamente o tema, simplesmente não o faço porque concentro-me em resolvê-lo e não perco tempo a pensar no problema em si. 
É só uma questão de perspectiva, de enxergar o copo meio cheio e não meio vazio, buscando sempre uma visão mais positiva da coisa, mesmo que tudo esteja a desmoronar à nossa volta e não saibamos para onde ir. É preciso buscar a calma, concentrar em busca da solução, ajudar dando mais de si e relativizar tudo aquilo que não define quem você é, nem o que faz, é sem dúvida o melhor caminho para viver bem e consequentemente em paz consigo mesmo.

Beijinhos amores!

Clênia Daniel.

2 comentários:

Sara Cabido disse...

oh, eu cada vez mais estou apaixonada pelo teu blog! As fotografias estão um miminho e as palavras também!

Um beijinho, Sara ♥
http://littletinypiecesofme.blogspot.pt/

Clênia Daniel disse...

Oi Sarinha!! Já te sigo e também gosto muito daquilo que fazes lá no teu blog, é tão lindo e você não imagina como fico contente por receber um elogio sobre as fotos e os textos. Também gosto muito de ver o teu trabalho e ler os teus relatos.
Vai passando que tenho muito carinho pela tua presença aqui também. <3

Design, coding and theme by Ana Garcês.
BE.YOU.TIFUL © 2008-2015