Em outros tempos...


...estaria super ansiosa pela chegada do São João, até porque como típica nordestina e sobretudo paraibana que sou, não tem como não se animar com as festas juninas que estão para os nordestinos como o samba está para os cariocas, está no sangue e brasileiro o que quer é um motivo para comemorar, até inauguração de calçada e muro eu já vi, portanto já ficam com uma noção não é mesmo?
São cinco anos aqui, são cinco anos sem os meus são joões, porque eu já até experimentei o do Porto uma vez, mas como não tem nada a ver com aqueles vividos noutros tempos, deixei-me ficar por casa e resignei-me a condição "do não tenho nada a comemorar", porque não gosto de levar com martelos de plástico na cabeça, nem aqueles galhos de alho que doem como tudo, principalmente porque não me identifico com esta forma de comemorar. Não é uma crítica, é apenas um ponto de vista.


Eu gosto é de forró, dançado agarradinho com quem se gosta, eu gosto é das comidas feitas com milho verde, eu gosto é de fogueira para assar carne, milho, queijo, batata-doce e até cebola. Eu gosto é de ir para a casa da minha avó e ver a minha família reunida, sempre a dançar, comer, beber e confraternizar. Gosto mesmo é de ir ver os concursos de quadrilhas juninas, que são cada uma mais bonita do que a outra. Gosto de ir para Campina Grande ver o maior São João do Mundo, uma festa que dura 30 dias durante o mês de junho, onde ninguém pensa em trabalho no dia seguinte, onde ninguém fala em crise porque sempre vivemos em crise e sempre fomos considerados sub-desenvolvidos, mas isso nunca foi importante porque cada um sabe da sua vida e não as notícias.

Eu sinto falta de muita coisa e não comemorar as festas juninas para mim é como se desaprendesse a andar de bicicleta, eu gosto de tudo o que me identifica, gosto do meu sotaque arrastado, quase cantando, gosto de saber todos aqueles "dialetos" nordestinos, todas aquelas expressões locais que só quem vive lá sabe o que é.

Eu ainda sou do tempo em que o Gonzagão era vivo e cantava nos festivais pelo Brasil a fora, eu cresci ouvindo a música do Luiz Gonzaga no rádio de pilha do meu avô, que ficava todas as tardes na frente de casa a ouvir um programa qualquer onde sempre passava esse tipo de música e ele muitas vezes a brincar agarrava-me para dançar...ele me dizia que eu seria uma doutora e que ia morar em São Paulo...(lembranças) os meus avós sempre foram os pilares da minha vida, embora a minha mãe sempre fosse a viga mestra.
É desse tempo que sinto mais saudade e mesmo sendo feliz hoje, não posso deixar de considerar que aqueles tempos foram sem dúvida os melhores.


" Olha pr'o céu meu amor, vê como ele está lindo!
Olha pr'aquele balão multicor que lá no céu vai sumindo
Foi numa noite, igual a esta que tu me deste o teu coração
o céu estava assim em festa, porque era noite de São João
Havia balões no ar, xote e baião no salão e no terreiro o seu olhar
que incendiou o meu coração."


Um bom São João para todos!

Beijos.

3 comentários:

Cisca disse...

Ohh que lindo!! Adorei o texto, muito sentido, muito bonito! Ai, as saudades são tramadas..

Cisca

winxmake disse...

Piki que saudades de vc amore!!!
O creme é baphon mesmo as artistas estao se jogando
Linda eu adoro festas de sao joao, sao uma delicia e super deliciosa
beijokas amore

Santa dica da casa disse...

Piki,boa noite, nessaa época vemos lindas festas juninas ,mas também sou meio chata com algumas coisa, nao curtiria ter um martelo de plastico e minha cabeça não kkkkk.
Lindas as imagens, me deu vontade de estar ai em uma delas srsrsr
Bj menina e uma otima quinta - feira

Design, coding and theme by Ana Garcês.
BE.YOU.TIFUL © 2008-2015